Esoterismo

Somente passaram seis meses desde o Editorial do 1o número de Biosofia mas julgamos oportuno reproduzir uma pequena parte do que então escrevemos:
“A entidade que se responsabiliza pela edição desta revista - o Centro Lusitano de Unificação Cultural - tem um fundamento filosófico-científico de matriz esotérica, que nunca deixou de assumir. Muito ao contrário […]

Uma Breve Introdução

Esta secção da “Biosofia”, que hoje começa com uma simples Introdução, e que passará a ter presença regular na revista, tem por objectivo comparar as perspectivas da Ciência com as afirmações da multimilenar Sabedoria Esotérica.
Ao longo de muitos números e, portanto, de vários anos consecutivos focar-se-ão alguns dos temas fundamentais estudados em ciências como […]

Annie Besant - A Magia do Verbo

Embora Annie Besant tenha escrito, algures, que nenhum outro epitáfio para si mesma desejava excepto o de que “ela procurou seguir a Verdade”, a sua figura é tão imensa e luminosa, que os mais belos adjectivos, os mais inspirados epítetos lhe foram consagrados por muitos dos que se puderam inteirar da sua natureza ímpar. […]

Transcendência e Imanência de Deus - II

Unidade, Trindade e Septenário no Universo e no Homem
Como se considerou no primeiro desta série de artigos (Biosofia, o 2), há um Ser que não tem outro atributo além de, pura e absolutamente, Ser - o que, em rigor, não é um atributo mas simples Realidade. Tal Realidade Infinita, Absoluta Potência de Ser, Parabrahman ou […]

A Mitologia Basca - I

Há e houve, ao longo da História e das diversas culturas que se sucederam, muitas mitologias. Com efeito, a mitologia encontra-se em todos os povos; nenhum prescindiu desta espécie de superestruturas que sustentam as suas origens, dão coesão às suas comunidades e, ao fim e ao cabo, afirmam a sua identidade.
Os mitos e histórias têm […]

Limão - Mais amigo do que amargo

O limão é verdadeiramente uma jóia na natureza. Pode ser considerado o rei dos frutos curativos, sendo impressionante a quantidade e variedade das suas aplicações (ver infra). E, no entanto, tendemos a repudiá-lo quando pensamos nele (como é amargo!) e a minimizar as suas virtudes, tanto no que respeita ao seu uso na manutenção e […]